Cidades Vizinhas de Tiradentes-MG

BICHINHO

O distrito de Vitoriano Veloso (Bichinho) pertence a cidade de Prados desde 1938, e é conhecido também pelo sugestivo nome de “Bichinho”, um povoado que se formou com a descoberta de ricas lavras de ouro nos princípios do século XVIII. O nome atual é uma homenagem ao inconfidente Vitoriano Gonçalves Veloso, negro, escravo alforriado e alfaiate que nasceu e viveu na região. Ele era vizinho e compadre de D. Hipólita, a única mulher a participar ativamente no movimento revolucionário (Inconfidência).

A Igreja de Nossa Senhora da Penha (foto acima) revela as origens setecentistas do distrito. Sua construção foi iniciada por volta de 1732, sendo concluída somente em 1771. As torres foram acrescentadas no início do século XX. Sua fachada simples não evidencia a riqueza de seu interior, dominado por belíssimas pinturas em estilo rococó. A ornamentação pictórica é atribuída a Manoel Victor de Jesus, que soube valorizar, sobretudo, os forros e púlpitos da igreja.

Hoje, o povoado é uma seqüência de casas antigas que servem tanto como residências quanto como oficinas, ateliês, lojas de artesanatos.

Sem falar na produção artesanal de doces, tradição que é passada de geração em geração (foto ao lado)

Bichinho se orgulha de ser uma das grandes concentrações de artesãos do Circuito Trilha dos Inconfidentes. A criatividade e simplicidade desses artesãos chamam a atenção dos visitantes. As peças e pinturas nascem do aproveitamento de material de demolição, madeira, ferro, lata, plásticos e tecidos de algodão. A qualidade das peças é que garantem as exportações para vários estados do país e até para o exterior.

Móveis, telas, bordados, fuxicos, crochês, tapetes, esculturas e adornos em geral estão por toda a parte. O histórico povoado fica a 7km de Tiradentes, com acesso pela estrada de terra que liga esta cidade a Prados (12km) e que proporciona um visual encantador da Serra de São José.

Atrativos Imperdíveis:Igreja de Nossa Senhora da Penha, visita aos ateliês e lojas de artesanatos (Oficina de Agosto, Canto do Bichinho, Fuxico da Carmem, Barraca da Joana e o Museu do Automóvel, logo na na entrada da cidade.

Veja mais informações sobre Bichinho.MG no site: www.bichinho.net
 


CARRANCAS

carrancas-mg

A origem do nome “Carrancas” se deve as catas – escavações de garimpo nas serras – que removeram a vegetação formando desenhos de “caras feias”.  Pequena cidade entre serras, com altitude máxima de 1590m no topo da serra das bicas e 896m na represa de Camargos, situada no sul de Minas Gerais.

O município de Carrancas tem área de 728 Km2 e faz divisa com os municípios de Itutinga, Itumirim, Luminárias, Cruzília, São Vicente de Minas, Madre de Deus, São João del Rei, Nazareno e Minduri. Possui um clima tropical de altitude, com aquela característica agradável do ar puro das montanhas, que vem atraindo visitantes que buscam novas opções de Ecoturismo.

Carrancas se destaca pelas belezas naturais como suas mais de 90 cachoeiras de águas cristalinas, que formam poços e piscinas naturais.

Dentre os atrativos da região podemos destacar a cachoeira das Esmeraldas, Véu da noiva, Fumaça, Catedral, Zilda, Proa da Zilda, Poço do Coração, Tira-Prosa e muito mais.

Distâncias (km):
São João del Rei – 80 km
Tiradentes – 94 km


CORONEL  XAVIER CHAVES

A pequena cidade se desenvolveu a partir de uma antiga fazenda pertencente ao Coronel Francisco Rodrigues Xavier Chaves. Desejoso de ver o progresso chegar a região, o Coronel doou parte de sua propriedade dando início a um pequeno povoado no começo do século XIX.

De lá pra cá, o povoado recebeu várias denominações e pertenceu aos municípios de Tiradentes e Prados até se tornar cidade. Em 1963 passou a se chamar Coronel Xavier Chaves.

Ainda hoje a fonte de sua economia é a atividade agropecuária, mas a cidade vem se revelando como uma ótima opção de turismo na região. Suas antigas construções, a paisagem natural, o artesanato e a hospitalidade de sua gente atraem visitantes e turistas de várias partes do País.

Atrativo imperdível: Visita ao famoso Engenho Boa Vista, que pertenceu ao irmão mais velho de Tiradentes, o padre Domingos da Silva Xavier, que conserva a tradição e produz excelente cachaça do mesmo modo que era feita a aproximadamente 250 anos.

“ A história do Brasil que desce redondo ”
O Engenho Boa Vista pertenceu a Domingos da Silva Xavier, o irmão mais velho de Tiradentes, que o recebeu de sua tia Josefa Maria da Conceição Xavier e seu marido Lourenço Coutinho.

Hoje, o engenho conserva a tradição e produz excelente aguardente (cachaça) do mesmo modo que era feita a aproximadamente 250 anos.

Na cachaça Boa Vista percebe-se a pureza e a qualidade inigualável da bebida de produção limitadíssima, destilada em alambique de cobre e envelhecida debaixo do solo em tanques de cimento revestido de parafina.

Segundo informações da EMBRATUR, o Engenho Boa Vista é o mais antigo do Brasil em funcionamento, perfeitamente conservado.


PRADOS

Conta a tradição local que dois irmãos da família Prado, vindos de Taubaté,fundaram em 1704 uma pequena localidade próxima aos arraiais de Nossa Senhora do Pilar e da Ponta do Morro, iniciando a exploração do ouro ali encontrado em abundância.

O novo arraial passa a se chamar Arraial de Nossa Senhora da Conceição dos Prados. Além de núcleo minerador, a localidade servia como ponto de partida de tropeiros e bandeirantes, que do centro de Minas dirigiam-se para a zona da mata.

A freguesia de Prados é criada em 1748, sendo que no final do século XVIII a atividade mineradora entra em decadência, devido ao esgotamento das minas de ouro. Novas alternativas econômicas surgem então com a instalação de pequenas indústrias de artefatos de couro. Em contrapartida, a produção agrícola se desenvolve, tornando-se outra fonte de renda.

Em 1881 o movimento comercial de Prados é beneficiado com a inauguração da Estrada de Ferro Oeste-Minas. A estação ferroviária é criada, estabelecendo contato permanente da localidade com a Estrada de Ferro D.Pedro II, que ligava Minas ao Rio de Janeiro.

Em 1890, o Arraial foi elevado à Vila e, em 1892 é elevada à cidade.

Hoje, além de sua memória histórica, Prados conserva também sua tradição musical, que é reconhecida como importante núcleo de estudo da música setecentista, com trabalhos sobre os mais expressivos compositores do período colonial, especialmente Manoel Dias de Oliveira.

O destaque é para a Lira Ceciliana, fundada em 1858, verdadeiro orgulho para os pradenses, que, constantemente, recebem estudantes de música de todo o Brasil.

Atrativo Imperdível: Visita aos artesãos que confeccionam peças (animais) em madeira e selarias.


RESENDE COSTA

Um rancho erguido para abrigar tropeiros e viajantes na primeira metade do século XVIII deu origem ao pequeno povoado de Laje. Em 1911 o povoado ganhou sua autonomia como município, recebendo o nome atual – Resende Costa (uma homenagem aos inconfidentes “pai e filho” que ali viveram).

A Capela de Nossa Senhora da Penha de França foi erguida em 1749 e, em torno dela, foram construídas oito casas para abrigar as primeiras famílias que se estabeleceram na região, entre elas a do inconfidente José de Resende Costa.

A atividade econômica desenvolveu-se a partir da produção de açúcar, manteiga, aguardente, calçados e arreios.

Hoje a cidade vive quase somente do artesanato têxtil, confeccionando colchas, tapetes, almofadas, cortinas e outros artigos para casa em teares manuais.

Ao entrar em Resende Costa, o visitante se depara com um bonito colorido nas janelas das casas e nas portas do comércio. São as cores do seu notável artesanato têxtil. A cidade transpira as técnicas de trabalho no tear trazidas para a colônia pelos portugueses.

A arte do tear está bem preservada em Resende Costa, que se tornou importante para sua economia, deixando de ser uma atividade feminina para envolver famílias inteiras.

A produção local pode ser adquirida também no comércio de vários estados brasileiros e até no exterior. É um trabalho que atrai turistas e lojistas de toda a parte, que ali encontram um tear mineiro autêntico, bonito e de qualidade.

Atrativo Imperdível: Visita aos ateliês e lojas de artesanatos.

Veja mais informações sobre Resende Costa no portal: www.resendecosta.net

 


 

Ritápolis


Vista da cidade de Ritápolis

Distante 14 km de São João del Rei, a cidade de Ritápolis tem entre seus principais atrativos fazendas do século XVIII e XIX, dentre elas a Fazenda do Pombal onde nasceu Tiradentes que é considerada patrimônio histórico nacional.

HISTORIA
A cidade teve suas origens no século XVIII como vila de abastecimento agropecuário. A Vila de Santa Rita do Rio Abaixo, como era chamada, foi fundada por tropeiros em 1836 e emancipada em 30 de Dezembro de 1962. A primeira referência documentada da antiga Santa Rita do Rio Abaixo consta na certidão de batismo de Domingos da Silva Xavier, irmão mais velho de Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes), ocorrido em 25 de Junho de 1738.

A vila nasceu no início da construção da capela por volta de 1713 que, apesar de descaracterizada devido a um acréscimo frontal ocorrido em 1918, está preservada até hoje. Atualmente o local é denominado Praça Tiradentes em homenagem a seu filho maior. Já recebeu o nome de Largo e Arraial. Os séculos de história deixaram alguns exemplares de arquitetura em pedra, pau-a-pique, abobe e tijolos.

Atrativo Imperdível:A Floresta Nacional de Ritápolis - uma das Unidades de Conservação do IBAMA, com área de 89he, pertencia à antiga Fazenda do Pombal, que o IBAMA está cuidando. A Fazenda do Pombal foi onde nasceu o Alferes Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes) e onde se encontram ruínas do engenho. Possui viveiro de plantas com vendas de mudas, mel, própolis, caminha ecológica com guia e casa de hóspede.
 


SANTA CRUZ DE MINAS


1° marco da Estrada Real, localizado no municipio de Santa Cruz de Minas

Santa Cruz de Minas é considerado o menor município do Brasil, em área (2,9 km²). Localizada entre Tiradentes e São João del Rei, faz parte do circuito da Estrada Real, e tem no artesanato um de seus maiores atrativos, principalmente na produção de móveis coloniais.

Entre as atraçoes naturais vale destacar a Cachoeira do Bom Despacho-no caminho para Tiradentes, onde está também localizado o primeiro marco da Estrada Real (foto).

Histórico
Na região denominado Córrego (Arraial dos córregos), teve origem o povoamento da atual Santa Cruz de Minas. Ali se estabeleceram os primeiros moradores em antigas fazendas, vindos do Porto Real da Passagem à margem direita do Rio das Mortes. Este arraial com o passar dos tempos, começou a pertencer a Vila São José, hoje Tiradentes e só em 1995 aconteceu sua emancipação.

Área: 2,859 km²
População 8.066 hab. (est. 2006)
Densidade 2.821,3 hab./km²
Data de Aniversário: 21 de Dezembro
 


SÃO JOÃO DEL REI

O Chamado Arraial Novo do Rio das Mortes, por volta de 1700, e depois Vila de São João del Rei, em 1713, a cidade, além das igrejas e dos casarios, preserva algumas tradições: antigas bandas sinfônicas, velhas cerimônias religiosas, como a de anunciar com os sinos das igrejas todos os grandes acontecimentos. Importante centro minerador, entreposto comercial e agrícola, a cidade manteve seu crescimento econômico e tradição política, mesmo com o declínio do ouro. Também desenvolveu indústria artesanal, equipou a mineração com a Companhia do Morro Velho e abriu a Estrada de Ferro do Centro-Oeste Mineiro, inaugurada por D. Pedro II em 1881.

Atrativo Imperdível: Visita à Igreja São Francisco de Assis (foto acima), que tem o título de primeira em arte barroca do país e a única da cidade projetada por Aleijadinho.


São Tiago

A habilidade para fazer quitandas é uma tradição que acompanha a trajetória do município, distante 44 quilômetros de São João del Rei. Existem cerca de setenta fábricas de biscoitos que empregam cerca de 2500 pessoas direta ou indiretamente. A produção é de cerca de 200 toneladas por mês. Destacam-se a torradinha de queijo e os biscoitos doces, como as rosquinhas de nata, casadinho, entre outros.Por esta razão, mais recentemente a indústria de produção de biscoitos se consolidou e assumiu um papel importantíssimo na economia local, o que acabou conferindo a São Tiago o título de“terra do café-com-biscoito”.

HISTÓRIA
Fundado por bandeirantes espanhóis em 1750. A cidade possui o mesmo nome de seu padroeiro, santo muito popular na Espanha. Os primeiros habitantes da região teriam se fixado, na busca por ouro, ao redor de uma capela erigida em homenagem ao santo na fazenda denominada "Fazenda das Gamelas" (situada entre o rio do Peixe e Jacaré). Em 1802, já figurava numa relação de arraiais do termo da Vila de São José. Em 1849, São Tiago se torna distrito de São João del-Rei, e, mais tarde, de Bom Sucesso. Em 27 de dezembro de 1948, foi criado o município, com território desmembrado de Bom Sucesso.

BELEZAS NATURAIS
A cidade também possui alguns atrativos naturais: cachoeiras como as da Solidade e do Simplício; o Balneário da Usina; e o Recanto do Rio do Peixe, que dispõe de área gramada, uma prainha de 200 metros de extensão e duchas. Igrejas: Além da Matriz de São Tiago em estilo Neo-clássico, a cidade possui a "Capela do Rosário", a "Capela de São Sebastião"

Atrativo Imperdível: A "Festa do Café com Biscoito", que acontece na praça da matriz, atrai visitantes de diversas localidades e está se consolidando como mais um atrativo da região. Começa na sexta com espetáculos musicais, se prolonga pelo sábado com degustações nos stands, oficinas e atividades culturais, e termina no domingo, quando acontece o desfile, mostrando a presença marcante do biscoito na vida da cidade.

FONTE: www.tiradentes.net

Siga-nos: FACEBOOK

Tire suas dúvidas:

Tipos de quartos
Cancelamentos e alterações de datas

 

Formas de Pagamento

Reservas: (32) 3355-1418 / 9 8859-7008
pousadasantoexpedito@mgconecta.com.br
Rua Alvarenga Peixoto, 507
Bairro Cuiabá - Tiradentes / MG